Foge das mãos

como vento, a água a areia...
Foge das mãos e já não se alcança... num segundo cresceste, mudaste, aprendeste... e num instante já não és aquele ser pequenino que os meus braços protegiam e o meu coração afagava. Agora és um menino, andarilho e pesquisador, sempre a desafiar o mundo, sempre a conquistar castelos. As palavras povoam o novo mundo, recheado de sorrisos e de muitos nãos, teus e nossos, desafiante e provocador, de olhar matreiro em riste testas os limites da nossa segurança. Não é não, mas às vezes o sorriso espreita e temos de esconder a cara para manter a firmeza. Não existem se não umas frases muito tagarelas mas na língua de um outro planeta que ainda não visitamos. O resto são palavras, cada uma com mais silabas: miminhó, apato, ptinhó, cáacóli.

E um Mãeí e um Paií que são uma delícia.

As noites estão mais calmas, custa a querer ir dormir, de novo um mundo tão cheio de novidades, de descobertas, de desafios, tau tau, e uma parede marota que teimou em vir contra a tua testa. Ainda adormeces nos meus braços, e aí sinto-te enorme, depois para a cama, tomas um biberão pela noitinha sem acordar e já aguentas (quase sempre) até às sete, às vezes um choro resolvido com a chupeta, a Sr.ª D.ª Pi outras vezes ainda vens aconchegar-te entre mãe e pai, e o teu cheiro doce povoa os nossos sonhos.

Tantos os registos que não vêm morar nas palavras, o meu olhar admirando-te (e o meu sorriso babando) de tantas façanhas que não chego a narrar.

Sempre o tempo, essa muralha intransponível e esta vida moderna que te tem aí e a mim aqui por tantas horas... Saudade

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Read Comments

6 brilhos:

Teresa- filipeecompanhialda.blogspot.com disse...

A nossa eterna guerra com o tempo!!!
Beijinhos

docinho disse...

O tempo... se um dia o tempo parar... é certamente porque o nosso coração repousa para sempre...
mais vale assim... vê-lo passar... vê-lo crescer... tanto... tanto... tanto!

Beijos a esvoaçar... como o tempo

Varanda disse...

essas paredes é que me "partem" a alma.

Beijo

Loira disse...

saudade, sim... pq raio passa tão depressa???
bj*

Rute Borges disse...

Já visitaste esse mundo, apenas já não te recordas como ele era e como a vida falava por nós...
Saudades
Um beijo

Rute Borges disse...

Obrigada pelas tuas palavras sempre certas... Não tens ideia da impotância que elas tem para mim e de como elas me vieram hoje dar sentido aos meus dias.
Um beijo daqui até aí em parar em lado algum.