Tranquilo

Assim o mundo de João segue... tranquilo... alheio a todos os desassossegos, a todos os percalços que por outros mundos fora vão acontecendo.
Voltar à escola foi difícil, mas a dificuldade foi breve, já encontrou a calma e a vontade para ir. Ainda por vezes reclama... mas desde que começou a ver o mano a sair cedinho de mochila às costas, teve vontade de ser igual... e participa com mais vontade nas manhãs.
E ao fim do dia, porque gosta do ar puro e da vida solta, pede, implora, chora, para ficar na casa dos avós!
Que delícia são os sábados de manhã, em mimo e aconchego, quando com cara de felicidade percebe que não vai à escola!

E mesmo que pareça de madrugada, ainda antes das oito da manhã já está a implorar para ir para a sala ver os seus "bonecos" na televisão... pena que a programação infantil, ao fim de semana, para quem não tem cabo seja tão desaquada para meninos pequenos...

Continua entusiasmado com a Clara, às vezes agarra-se à barrigota a chamar: Clarinha!? Clarinha!? Tás a nanar?!...
Diz a todos que a mana está na barriga da mãe, que vem com o Pai Natal... e às vezes faz miminhos... Ainda não sente cíumes que se notem, esses deve estar a guardá-los para quando tiver de dividir o colo!

E depois das férias sinto-o tão crescido... o meu homenzinho... que deixou a chupeta, que abandonou as fraldas de noite e de dia, tendo até agora apenas dois acidentes na cama... que joga à bola com emoção... que já gosta do benfica... e às vezes também do sporting e grita Por-tu-gal, Por-tu-gal! Que lava as mãos sozinho, que quer sempre fugir ao banho... que se ri dos seus próprios disparates, e dos nossos... E que se aninha no meu colo e no meu abraço ao fim do dia e beijando-me diz: Adoro-te! Tive muitas saudades tuas!

Às vezes, olhando-o na paz dos sonhos fico a imaginar como será possível sentir tanto amor outra vez, como será este multiplicar de afectos que nos fará pais ao quadrado e ao cubo... Como será ter o peito tão cheio e transbordante que o cansaço dos dias nunca nos escureça o coração. Como será? Como irá ser?

E ainda que por vezes me falhem as forças, e por momentos os dias pareçam desabar em peso... nunca um amanhecer deixou de trazer novo ânimo, nova alegria e renovadas forças... vamos ouvindo de tudo: ele ainda é tão pequenino, tão nova e já com tantos trabalhos, vão ser 3 em casa é muito complicado... vai ser muito difícil... Já, outro? Vocês não perdem tempo... e também os luminosos: que bom uma menina no meio dos rapazes, vai ser uma alegria enorme, é bom enquanto é nova... Daqui a pouco estão todos criados. E a verdade... é que já esta realidade me serve, me ilumina... é a minha, e apesar de ainda ser difícil me maginar com um bebé extra pequenino nos braços, a ideia de sermos esta grande família dá-me uma felicidade algo misteriosa, nos tempos que correm... em que no nosso país ainda há o culto do filho único, quer por dificuldades, quer por outras prioridades... neste país em que os filhos e a família ainda não estão em primeiro lugar das prioridades de quem manda... neste país em que dar a primazia à família é muitas vezes prejudicarmo-nos no emprego... neste país que é o meu... ser esta família que caminha para o XL... que nem nos cabe no carro... é como ter um segredo guardado no cofre dos tesouros e sorrir por dentro... por o guardar.

A gravidez corre bem, alguma azia, algum edema nas pernas em dias mais longos, algumas dores musculares ao acordar, mas tudo sereno, tudo tranquilo nesta espera. Os preparativos estão algo atrasados, talvez, para corações mais ansiosos... durante este mês tentaremos que fique tudo mais ou menos definido... o cantinho no quarto dos pais, as roupas organizadas, os acessórios em falta... até lá a barriga vai anunciando progressos... e deixando-me cada vez mais redondinha e lenta! Com a chegada do Outono, o tempo parece querer dar um salto, as folhas já se vêm no chão... será para breve... este novo mundo em nós...

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Read Comments