18 meses de Clara

Recordo esse dia numa memória que ainda não tem nuvens. É tudo tão claro, tão cheio de detalhes que arrepia. A hora da madrugada em que quebramos o silêncio do bloco de partos, o nascer quase tranquilo, o corpo sentido do lado de fora, o respirar com gemido, a incubadora, os pernas excessivamente inchadas ao longo de um dia a subir a descer pisos, o sentimento da distância, o dormir sozinha sem ninguém na barriga e sem ninguém ao lado, as dores dessa noite, o amanhecer e finalmente amamentar a minha cria, um colo meu no seu corpo nu e perfeito depois vesti-la de roupas e de afectos.

Um ano e meio de descobertas neste ser mãe outra vez, que me inunda por dentro de uma energia tão nova e diferente. Esta surpresa de poder amar tanto e cada vez mais. Esta imensa família que nunca esperei ter. Uma moldura bonita que hoje decidi pendurar na parede da minha memória, a lembrar todos estes belos 18 meses em que me transformei, devagarinho, num eu maior, mais forte, mais capaz.

A Clara é uma delícia, um encanto, de personalidade viva e vibrante, senhora de um nariz arrebitado e barriga empinada. Um pouco empertigada mas  tão doce. Dá abraços e alguns beijos. Gosta de risos, de andar muito depressa, às vezes até gosta de cair, quando o faz devagarinho e parecendo rebolar quando chega ao chão. E ri-se, ri-se muito como se a essência da felicidade estivesse naquele louco tombo.

Gosta dos irmãos, que a provoquem, que a façam rir, mas não gosta que a apertem, que a condicionem. Dizendo um "pára" inequívoco. Ou um "itão?"

Fala muito , de palradora de palavras sem sentido passou a falar muitas coisas que se percebem, foi um repente e agora faz-se entender com palavras dela e nossas: bada (água) impinho (guardanapo - de limpinho) papinha (=) opinha (sopinha) bebé (=) apato (sapato) pé (=) beia (meia) élha (orelha) mão (=) dudu (=) oão (João) mano (=) caca (vaca) ixa (xixa) bigo (umbigo) pipi (=) mãe (=) pai (=) bóbó (vovó) roji (arroz) batapita (batata frita) qué (quero) eitinho (leitinho) não (=) xim (sim) colho (colo) banhinho (=) chão (=) teté (chupeta) ola e xau.... bolha (bola) aça (maça) naninha (bananinha) buta (fruta) cóco (óculos) cão (=) gaco (gato) uz(luz) xai (sai) queijo (=) ixo (lixo ou bicho) cocó (para pedir a música doidas doidas doidas) e sobretudo he he he a toda a hora para pedir qualquer coisa...

Adenda de palavras que me esqueci: vinho (=)  eija (cerveja) fecha (=) abe (abre) dá (=) pega (=) toma (=) alda (fralda) pota (porta) ois (dois) alhau (bacalhau)deita (=) mas deita serve para almofada, cama...

E começa a juntar em frases: hum qué pão, hum qué teté, quem é?, hum tá e outras que inventa apato oão pé... dudu hum pota...a colho a bebé... pota fecha...


Da consulta poucas advertências fica o peso 10,9kg e o tamanho 80cm, andar descalça e ir à praia e comer de tudo.

Não sei se registei aqui, mas a Clara começou a andar com 16 meses e 10 dias, no dia da festa da aniversário da prima. Depois teve uma pausa de duas semanas ao fim das quais aventurou-se outra vez.

Clara caminha para ser feliz.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Read Comments